Especial Nossa Farroupilha: Conheça o Salto Ventoso, lugar de encher os olhos e acalmar a alma

     Esquecer da rotina, do stress diário, do trabalho, dos conflitos da vida moderna, nem que for por um instante, faz um bem, não é? O contato com a natureza é uma das alternativas para quem busca deixar as preocupações de lado e relaxar. No interior de Farroupilha, moradores e visitantes podem renovar as energias e fugir do agito da cidade e até do litoral em um lugar bem especial: O Parque Salto Ventoso.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

    A 12 quilômetros do centro da cidade, na Linha Muller – 3º distrito, fica a área de mata nativa, cortada por uma espetacular queda d’água de 56 metros de altura, sobre uma gruta de 200 metros de comprimento e 25 de altura. A cascata em meio ao verde exuberante pode ser admirada do mirante localizado na FR-10, estrada que liga a área urbana ao ponto turístico, e também de uma forma ainda mais encantadora: da passarela instalada atrás da cortina d’água. A vista desse ângulo impressiona e dali são feitos muitos registros fotográficos dos visitantes, como da jornalista Gabriela da Silva, moradora de Sapiranga (RS).

 

Gabriela registou a cortina da água e se encantou com a beleza do Salto | Foto: Gabriela da Silva

 

Apaixonada por natureza, ela visitou o parque em junho do ano passado e se surpreendeu com a beleza do local. “O Salto Ventoso é um dos lugares mais bonitos que já visitei no Rio Grande do Sul. A cachoeira é linda quando vista do mirante, mas o mais incrível mesmo é a sensação que se tem ao passar por trás da queda. É uma energia boa e não há como não se render em encantamento diante da grandiosidade desta obra da natureza”, destaca.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

Para chegar nesse ponto de observação é preciso andar por uma trilha de aproximadamente 300 metros em meio a mata. De nível fácil, o caminho pode ser feito por pessoas de todas as idades. Já na passarela metálica, o visual é de encher os olhos e acalmar a alma. A passagem também é caminho para uma pequena gruta com imagens sacras, que frequentemente recebe flores.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

Outra trilha leva a um espaço peculiar: as ruínas de uma residência imponente, construída pela família Aguiar em 1950. A casa era o local de lazer da família e tinha cinco grandes quartos e dois espaçosos salões de festa, um deles com cozinha e banheiro. Hoje restam apenas pedaços da construção, que dão asas à imaginação de quem passa por esse cantinho. A área também já pertenceu ao Conde Paulo de Montravel, vice-cônsul da França no Rio de Janeiro. Em 1885 foi cedida pelo Governo Imperial e com o nome de Santa Marta de Soledade era a maior sesmaria do RS, com 16 léguas.

 

Ruínas da Residência da família Aguiar | Foto: Adroir Fotógrafo

 

Aliás, história é o que não falta ali. Em 1868, um grupo indígena – que habitava as redondezas antes mesmo da colonização europeia –  sequestrou a esposa e os filhos de Lamberto Versteg, um alemão que emigrou para o Brasil em busca de melhores condições de vida, tinha sua morada e produção agrícola na região. As vítimas foram levadas mata adentro até a taba, em um campestre no atual município de Caxias do Sul.

Duas expedições foram organizadas para resgatar a família Versteg, ambas sem sucesso. Em uma delas, os índios durante a fuga se abrigaram na furna da cascata mais tarde conhecida como Salto Ventoso. Após a tragédia, o alemão vendeu suas terras e durante muito tempo não teve notícia dos seus familiares. Seu filho Jacob, conseguiu fugir nove anos depois reencontrando o pai no município de São Leopoldo e revelando que a mãe e a irmã foram assassinadas pelos índios. Um pouco da história do local pode ser acompanhado nas placas informativas instaladas ao longo das trilhas.

A beleza de um dos principais pontos turísticos de Farroupilha chamou atenção da indústria cinematográfica. O Salto já foi cenário para os filmes Prova de Coragem, com cenas aéreas e de escalada, para O Quatrilho, além da minissérie da Rede Globo Quinto dos Infernos.

 

Foto: Neimar de Césero

 

Mas engana-se quem pensa que o Parque é um lugar apenas de contemplação da beleza natural. Os mais aventureiros têm a possibilidade de desfrutar do passeio de um jeito bem diferente: através do rapel. A prática é oferecida há mais de seis anos pela No Limits, que desde o ano passado se tornou a operadora oficial do Parque. A atividade no grande paredão, considerado um dos mais bonitos do Estado, é oferecida aos sábados e domingos, das 9h às 11h30 e das 13h às 17h e de segunda a sexta-feira, por agendamento. Custa R$ 50 por pessoa, incluindo as fotos da descida e uma aula prática. Crianças a partir dos 4 anos já podem fazer, acompanhadas pelo instrutor.

 

Rapel pode ser praticado por pessoas de todas as idades | Foto: No Limits

 

Os pequenos com três anos de idade ou mais ainda podem se divertir na escalada infantil. São R$ 10 a cada 15 minutos. Nos próximos finais de semana ainda será disponibilizado o espaço kids com cama elástica e outros brinquedos. E para quem tem disposição é possível agendar a “Trilha dos Sentidos”. A caminhada de cinco quilômetros dura cerca de uma hora e meia e circunda toda a propriedade, chegando no limite dos municípios de Farroupilha e Carlos Barbosa. O agendamento deve ser feito pelos telefones 54.99645.7639 e/ou 54.996180118.

 

Foto: No Limits

 

O Salto Ventoso também é um dos locais mais procurados pelos praticantes da escalada em rocha. Em 2015, o município sediou o I Seminário Gestão da Escalada, reunindo mais de 70 pessoas, entre adeptos e adoradores do esporte. A programação totalmente gratuita contou com workshops, debates, rodas de conversas e uma tarde livre para escalada. O objetivo foi apresentar aos praticantes do esporte no RS, os projetos de melhorias que o local está recebendo, organizar o esporte, e conscientizar sobre impactos ambientais.

 

Foto: Francisco Fianco

 

Os amantes da corrida de montanha viram no local a oportunidade de integrar natureza, diversão, turismo e desafio. No próximo dia 18, acontece lá a 1ª etapa do Circuito Trilhas & Montanhas 2017 – Trilhas do Salto Ventoso. O Salto sediou o evento pela primeira vez em 2015, por ser uma região apropriada para corrida de montanha e proporcionar belas paisagens aos atletas.

 

No dia 18, mais uma edição passará pelo Salto Ventoso | Foto: Trilhas & Montanhas/Divulgação

 

No início de 2016, a fim de oferecer aos visitantes uma experiência mais confortável e segura, além de valorizar ainda mais o local, a Prefeitura de Farroupilha realizou melhorias em toda a estrutura, como a pavimentação de trilhas, construção da passagem metálica na parte inferior da cascata, do mirante na lateral da queda d’água, instalação de bancos, lixeiras, pergolados, além do trabalho de paisagismo e colocação de placas informativas e de sinalização. Foram mais de R$ 450 mil em investimentos.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

Para manter toda a nova estrutura, a empresa responsável por administrar o Parque cobra o valor de R$ 8,00 para ingresso no local. Do valor arrecadado, 85% fica com a empresa, sendo que a mesma tem a responsabilidade da limpeza, manutenção, segurança, oferta de seguro de vida para todos os visitantes e o reinvestimento no local, através de novos produtos e serviços. Todas essas diretrizes – de curto, médio e longo prazo – estão previstas no Plano de Manejo, elaborado pela Prefeitura em conjunto com a Atuaserra e são fiscalizadas por uma comissão. Os 15% restantes da receita de bilheteria vão para o Fundo Municipal de Turismo.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

“Desde as obras de revitalização feitas pela Prefeitura em 2016 a procura pelo parque e consequentemente pelas atividades cresceu muito. A visão de que o Salto é um balneário está mudando e as pessoas estão vindo realmente aproveitar de forma adequada”, explica Daniela Fronza Pires, sócia-proprietária da No Limits.

De acordo com levantamento da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, no último trimestre de 2016, foram mais de 35 mil visitantes. Em janeiro e fevereiro deste ano, estima-se que passaram pelo parque mais de duas mil pessoas somente nos finais de semana. “É destino obrigatório para quem sobe a serra gaúcha e gosta de estar em meio ao verde. Pode ser opção para passar o dia ou parada antes de seguir para um dos restaurantes de comida italiana típicos da região”, completa a jornalista Gabriela.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

A administração do Parque prevê a oferta de mais atividades ligadas ao ecoturismo e a qualificação da cantina. Conforme Daniela, duas tirolesas já estão em processo de instalação. “Estamos nos planejando para que no final de março já estejam prontas. Uma delas sairá do lado do primeiro mirante e vai até a trilha que leva a cascata e a outra vai dali até o final da passarela. O preço por pessoa ainda está sendo estudado, mas será acessível. Em abril, o restaurante também receberá reformas, será climatizado e deve oferecer mais opções de lanches naturais” diz. Atualmente, há opção de prato executivo e buffet aos finais de semana.

 

Foto: Adroir Fotógrafo

 

“É um passeio para todos os públicos, desde as crianças, até os idosos e também para os praticantes de esporte. Para quem gosta de interagir com a natureza, contemplar belas paisagem, é imperdível. E agora, na alta temporada, é uma ótima alternativa para curtir os dias quentes na serra gaúcha”, enfatiza o Secretário de Turismo e Cultura, Francis Casali.

Vale lembrar que no local não são permitidos banhos, o que não impede o visitante de passar um dia agradável a sombra das árvores, fazendo um pic-nic ou utilizando as churrasqueiras disponibilizadas em um espaço exclusivo.

Como chegar:

https://goo.gl/5Q5ycu

 

O Parque funciona de terça a domingo, das 9h às 18h. As novidades do Parque podem ser acompanhadas na página https://www.facebook.com/ParqueSaltoVentoso e outras informações pelos telefones (54) 9 96938711 e 54.3259.1091. Faça sua visita e sinta a energia desse cantinho especial do Rio Grande do Sul.

 

Texto: Renata Parisotto

Edição: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social 

imprensa@farroupilha.rs.gov.br